domingo, 3 de junho de 2012

Colesterol I

Há muitos meses tenho pensado em escrever sobre este assunto espinhoso. Mas, enfim, chegou a hora de desmontar mais alguns mitos. Serão provavelmente vários posts. E este primeiro post tentará responder a pergunta mais básica: de onde veio a ideia de que colesterol elevado é uma coisa ruim?

Sim, eu sei, há 40 anos "sabemos" que colesterol faz mal. Mas, se você tem acompanhado este blog, já percebeu que tenho certo gosto em questionar os dogmas. Vamos ver o que acontecerá com este grande dogma após cuidadoso escrutínio.


Como tudo começou?

A seguinte recapitulação histórica pode ser encontrada em detalhes no livro "Good Calories, Bad Calories".

Desde o século 19 já se sabia que as placas de ateroma nas artérias continham colesterol. Em função disso, o patologista russo Nikolaj Anitschkow realizou experimentos em coelhos, nos quais os alimentou com colesterol puro diluído em azeite de oliva. Os coelhos apresentaram depósitos de colesterol nas artérias. Também apresentaram depósitos de colesterol em tendões e outros tecidos conjuntivos. Isso não chega a ser surpresa pois, sendo os coelhos herbívoros, é evidente que não estão metabolicamente equipados para consumir colesterol, acumulando-o em diversos tecidos, coisa que não ocorre em humanos. Hoje está claro que estes experimentos apenas provam que coelhos não deveriam comer carne, mas na época ajudou a postular a hipótese de que o colesterol elevado no sangue era a causa de seu depósito na parede das artérias (não obstante o fato de que ovelhas, gado, cavalos e babuínos, todos herbívoros, apresentam placas de aterosclerose embora comam exclusivamente de plantas).

Esta teoria lipídica da doença cardiovascular não teve uma vida fácil na primeira metade do século 20. Já em 1936, estudos de necrópsia realizados em pacientes que morreram por causas violentas demonstraram que a incidência e severidade da aterosclerose não tinha relação alguma com os níveis de colesterol dos falecidos.

Ancel Keys. Este é o nome responsável por aquilo que sempre lhe disseram, no que diz respeito a dieta, colesterol e doença cardiovascular. Keys conhecia os estudos com coelhos, e acreditava que o colesterol elevado era a causa da aterosclerose. No entanto, Keys conduziu um estudo com voluntários que aceitaram consumir quantidades variáveis de colesterol na dieta. Keys observou que a quantidade de colesterol na dieta não tinha nenhuma relação com o colesterol no sangue (incrivelmente, muitos médicos em 2012 ainda não sabem disso). Então, em 1951, durante uma conferência na Itália, Keys conversou com um cientista de Nápoles que lhe disse que doença cardíaca não era problema em sua cidade. Keys então visitou Nápoles e descobriu que a população realmente era quase livre de doenças cardíacas, exceto pelos ricos. Descobriu ainda que o colesterol dos pobres era menor que o dos ricos, e que estes últimos comiam mais carne e mais gordura. Com base nestas observações, Keys convenceu-se de que a diferença crítica entre os que apresentavam doenças cardíacas e os que não apresentavam era o consumo de gordura na dieta. Evidentemente, há muitas outras diferenças entre pobres e ricos (nível de atividade física, chance de morrer por outras causas, etc.), e o consumo de carne poderia ser apenas um marcador de classe social. Mas, como Keys já estava previamente convencido de sua teoria, precisava apenas encontrar os dados que a confirmassem - o oposto do que propõe o método científico.
Alguns meses mais tarde, Keys enunciou sua teoria de que a gordura na dieta elevava o colesterol, e o colesterol elevado causava doença cardíaca. Esta teoria foi recebida com grande ceticismo. Em 1953, Keys publicou um estudo (o famoso estudo dos 6 países) em que demonstrava que os países com maior consumo de gordura apresentavam mais doença cardíaca:



Em 1957, Jacob Yerushalmy and Herman Hilleboe publicaram uma detalhada crítica do estudo, salientando que Keys havia escolhido apenas os 6 países que davam maior suporte à sua teoria, embora houvesse dados disponíveis para 22 países. Quando todos os 22 países foram computados, o gráfico mostrava um efeito bem mais atenuado:





 Observe, por exemplo, que a mortalidade cardíaca na Holanda, Dinamarca, Noruega e Alemanha era muito menor do que a dos Estados Unidos, Canadá e Nova Zelândia e, no entanto, o consumo de gordura era o mesmo. Ainda assim, um certo grau de correlação permanece.

Hoje sabemos de muitas outras fraquezas do estudo dos 6 países. O consumo de gordura era calculado pela quantidade de gordura disponível no país, dividido pelo número de habitantes (independentemente de a gordura virar comida ou sabão), e as doenças eram avaliadas pelos atestados de óbito (uma fonte de informação extremamente pouco confiável). Se hoje já criticamos os estudos feitos com questionários alimentares, o que dizer disso?

Ainda em 1957, a associação americana de cardiologia (AHA) criticava fortemente a hipótese de Keys - estava claro que não havia evidência suficiente implicando a gordura na dieta com a elevação do colesterol, e esta elevação com a gênese de doença cardiovascular.

A hipótese lipídica da doença cardiovascular nasceu, portanto, de má ciência básica, sucedida por um estudo epidemiológico mal feito e capitaneada por alguém que estava convencido a priori do acerto de suas próprias teorias. No próximo post, tentaremos entender como a esta teoria cheia de falhas, amplamente rejeitada pelos próprios cardiologistas da época, em pouco tempo conquistou a aura de dogma inquestionável.

33 comentários:

  1. O "bom" e velho viés de confirmação...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato: saliento o que me agrada, ignoro o que me contradiz.

      Excluir
  2. Boa tarde Dr. José Carlos!
    Amei seu blog, é perfeito para quem está fazendo essa dieta.
    Mas existem tantos que a gente fica meio confusa. Gostaria muito da sua ajuda para maiores esclarecimentos de algumas coisas.
    Todos dizem que a gelatina royal tem Maltodextrina, oque faz com que a dieta trave...isso é verdade?
    e o creme de leite, pode consumir sem restrições ou tem carboidrato?
    Muito obrigada desde já.

    Ana Paula

    ResponderExcluir
  3. Obrigado, Ana Paula, e parabéns pelo progresso! Numa fase inicial (especialmente nos primeiros 14 dias de uma dieta cetogênica), o ideal é manter os carboidratos realmente baixos (abaixo de 30 ou 20g). Assim, é importante buscar os "hidden carbs" (Carboidratos Escondidos). portanto, sempre é bom consultar a lista de ingredientes dos produtos, para não ser enganado. Maltodextrina vira açúcar no sangue. Mas atente para a quantidade. Um pacotinho de gelatina Royal tem 12 gramas. Sabemos que a maior parte é proteína. Assim, mesmo que 2 ou 3 gramas do pó fossem maltodextrina, e mesmo que você comesse todo o pote de gelatina (500g, a maior parte água), 2 ou 3 gramas de carbs não vão travar a sua dieta. Dito isso, se você puder optar por uma marca sem carbs, sobra mais carbs para você consumir em outras coisas, como brócolis, por exemplo.

    O mesmo vale para o creme de leite. A maioria das marcas contém cerca de 0,5g (lactose) em cerca de 15g do produto. 150 gramas do produto dariam 5g, ok? Prefira nata, que é mais gostoso (na minha opinião), e tem menos carbs ainda - esta vc pode comer à vontade.

    Outra coisa, Ana Paula: não deixe o ótimo ser inimigo do bom. Para fins de dieta low-carb, comer 1 pote inteiro de creme de leite ainda é muito melhor do que comer um biscoito. E, se creme de leite te satisfaz, use e abuse.

    Dito isso, vai aqui um conselho. Eu comecei a minha trajetória com a dieta Atkins (que funciona maravilhosamente bem). No entanto, tenho preferido a abordagem mais páleo, que evita ao máximo os alimentos processados, e é evidentemente melhor para a saúde e mais sustentável no LONGO prazo. Acho que a dieta Atkins é um bom começo para perda acelerada de peso mas, atualmente, não comeria gelatina, que é algo diametralmente oposto ao conceito de comida de verdade (melhor nem saber como é feita). Minhas sobremesas favoritas são morangos com nata, alguma fruta in natura, chocolate amargo ou creme de abacate. Claro que algumas destas coisas não são aceitáveis na fase de indução (14 dias, cetogênica) da dieta Atkins, mas serão parte integral da fase de manutenção.

    Existem várias formas de fazer dieta low carb. Você deve descobrir qual a que funciona melhor para você. Se eu tivesse que sugerir: faça dieta Atkins PELO LIVRO, e depois migre aos poucos para uma dieta páleo.

    ResponderExcluir
  4. Nossa Dr., o sr. é ótimo!!!!
    Muito obrigada pela sua atenção e simpatia.
    Quando tiver dúvidas correrei pra cá, tá? kkkkk

    Um grande abraço e parabéns mais uma vez!

    ResponderExcluir
  5. Dr.José Carlos boa noite!!! Olha eu de novo! kkkk
    Oque o sr. acha do pão feito com farelo de trigo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá. Não conheço... mas imagino que tenha gosto de papelão. Supondo que seja low carb, ainda assim terá glúten, que induz inflamação em muitas pessoas. Quando se come um pão, pelo menos o gosto é bom. Comer um substituto que deve ter gosto ruim e ainda carrega algumas das desvantagens do pão, bem, não me atrai. Na minha opinião, o melhor é fazer o luto do pão. O fumante gosta do cigarro; ele deixa de fumar por ter tomado uma decisão racional no sentido de que o cigarro lhe faz mal. Se fosse depender do que ele gosta ou deixa de gostar, não largaria o cigarro jamais. Enterre o pão, faça um velório, chore, passe pelo período de luto, e toque a vida adiante, com saudades, mas com o luto resolvido.

      Excluir
  6. Entendi Dr.. muito obrigada mais uma vez!

    ResponderExcluir
  7. Dr. eu li em algumas matérias que as fibras insolúveis, não são digeridas pelo organismo, e vi que o farelo de trigo é uma fibra insolúvel de baixíssimo carboidrato, e vi tbm que podemos fazer o pão da indução com ele, gostaria de saber sua opinião sobre isso, e outra pergunta a respeito do embutidos, tipo linguiça, salsicha e mortadela, será que influenciam para que nossa dieta não seja um sucesso, ou seja, será que retardão o emagrecimento ???
    Aguardo suas resposta...
    Não esquecendo de dizer, que amei seu blog, que foi o melhor que li até hj sobre essa dieta, e estou propagando para minhas amigas...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Simone. Sobre pão de farelo, dê uma olhada na minha resposta para Ana Paula, acima. Por ser low carb, não afetará a dieta. Mas não sei se vale a pena, depois me conte sobre o gosto. Embutidos (carnes processadas) não são exatamente saudáveis, mas são bons lanches eventuais. Leia os rótulos, pois se usa farinha e açúcar em tudo hoje em dia... Prefira, sempre que possível, comida de verdade, ou seja, alimentos não processados.
      Muito obrigado pelos comentários.

      Excluir
  8. Dr. o gosto não é ruim não, colocamos um recheio gostoso e fica ótimo! rsrsrs
    Mas só queremos ter certeza que podemos comer sem culpa, pode ou não?

    ResponderExcluir
  9. Dr. mais uma coisa...tenho uma página no face com 302.000 membros, bem popular. Imagens gospel e amizade é o nome dela. Posso divulgar seu blog lá? Acho que vão gostar muito!

    ResponderExcluir
  10. Claro, quem sabe não ajuda algumas pessoas?

    ResponderExcluir
  11. Li aqui no bloog que carne processada não é muito saudável, então fiquei na duvida...o que é carne processada? Salsicha, presunto, peito de peru? E linguiça?

    ResponderExcluir
  12. É, essa coisas. Claro que são MUITO melhores do que o mais integral dos grãos, ok? Mas não devem ser a BASE de sua dieta. Servem como lanches convenientes eventuais. A base de sua dieta deve ser vegetais de pouco amido em abundância e carnes/peixes/aves/ovos da melhor procedência possível, preparados sem óleos extraídos de sementes.
    DITO ISSO, eu afirmo que seria muito mais fácil adoecer e morrer comendo pão integral todos os dias do que comendo queijo com linguiça.


    2013/6/27 Disqus

    ResponderExcluir
  13. Boa noite Dr.Souto! O site está cada vez mais interessante e completo. E diga-se de passagem mais famoso,após sair no dietdoctor.com hehehe.
    Venho seguindo paleo-low carb/high fat ha uns 2/3 meses já.
    Realizei um exame de sangue para verificar como tudo estava.
    Tenho que dizer que foi i.m.p.e.c.á.v.e.l. em TODOS os quesitos a não ser pelo colesterol e MPV:
    Glicose: 77 Triglicerideos: 71 Colesterol: 250! Creatinina: 0,96 MPV:13,3
    Devo me preocupar com os resultados negativos? Acha melhor verificar o HDL/LDL-VLDL??

    ResponderExcluir
  14. Seria interessante saber o HDL
    Em 14/08/2013 22:18, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  15. Anna Karina Postachian29 de agosto de 2013 11:04

    Qual seu blog?

    ResponderExcluir
  16. Esse é um capítulo negro da história da medicina. Pode levar décadas para ser reparado todo esse mal causado pelas orientações dietéticas da 'pirâmide alimentar'!!!!
    E Taubes merece um Nobel por ter traçado historicamente todos os fatos, que 99,9% dos médicos desconhecem!

    ResponderExcluir
  17. Fernanda Aguiar Ferreira6 de setembro de 2013 19:47

    Dr. Souto,
    Eu e meu marido começamos a dieta "low carb - high fat" há 12 semanas e resolvemos fazer os exames de sangue para checar.
    Os meus índices melhoraram todos (já eram bons e agora estão ótimos!).
    Em compensaão os do meu marido pioraram:
    HDL: 35 / LDL: 176 / Total: 232
    Glicose: 102
    O triglicerides foi o único que melhorou. Isso não é estranho? O resultado de glicose foi o que mais me espantou...
    O que o dr recomenda fazer? Repetir o exame?
    Obrigada e parabéns pelo blog
    Fernanda

    ResponderExcluir
  18. Fernanda Aguiar Ferreira6 de setembro de 2013 22:28

    Muito obrigada doutor!!!
    Vou ter que ler umas 3 vezes pra entender direitinho, rsrs
    Beijo grande e mais uma vez parabéns pelo blog. Realmente fantástico!!

    ResponderExcluir
  19. Doutor, parabéns pelo blog. Estou começando a ler mais sobre low carb, e vendo que já há alguns poucos corajosos médicos que estão fazendo cair paradigmas. Com relação a questão do colesterol, gostei muito de alguns artigos deste médico carioca, cujo tema é "O grande conto do Colesterol": http://www.arzt.com.br/artigos/o-grande-conto-do-colesterol.

    Desculpe, se você já falou sobre o conteúdo que está neste artigo, é que me empolguei com o assunto e decidi compartilhar.

    ResponderExcluir
  20. Dr Souto,

    estou na dieta low carb desce 04/03, e sou mais uma das provas de que os exames melhoram!
    Veja soh:
    Em ago/2012 - colesterol total = 263, HDL = 57, LDL = 181, glicose = 87, triglicerideos = 126.
    Em ago/2013 - colesterol total = 192, HDL = 49, LDL = 127, glicose = 91, triglicerideos = 80!
    Ja eliminei 18kg desde marco/2013.

    ResponderExcluir
  21. Sensacional

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 11/11/2013 23:44, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  22. Fernanda Aguiar Ferreira24 de novembro de 2013 13:11

    Bom dia dr,
    Meu marido fez os exames de novo e o triglicerídeos dele voltou ao que era antes da dieta (era 240, baixou a 105 e voltou a 240).
    Estamos um pouco preocupados. O HDL não se moveu.
    Existe alguma coisa que possa ter influenciado o resultado do exame (alguma coisa que ele possa ter comido no dia anterior)? Ele pode ter problema em alguma outra coisa que faça com que ele aumente o TG mesmo não comendo carbs?
    Obrigada!

    ResponderExcluir
  23. Muito provável que haja carboidratos escondidos em algum lugar. LCHF em geral produz triglicerídeos abaixo de 70.

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 24/11/2013 13:11, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  24. Dr. Souto,
    Gostaria de uma ajuda sua meu colesterol sempre foi controlado. Comecei a seguir as orientações do Rodrigo comprei o livro dele li e gostei muito porém esta semana fiz os exames de sangue para verificar o colesterol e constatei que aumentou e muito estou preocupada será que é porque estou comendo muito ovo.
    meu exame que estou enviando anexo por favor se puder me ajude.....
    Colesterol total
    meu exame - 261 - desejável 200
    Colesterol HDL
    meu exame 57 - desejável 60
    Colesterol LDL
    meu exame 184,2 - desejável 130

    Desde já agradeço
    Que Deus lhe abençoe

    ResponderExcluir
  25. Leia e assista as outras 8 postagens de colesterol, e se vc ainda estiver preocupada, me explique porquê.


    Em 25 de novembro de 2013 14:37, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  26. Muito obrigada pela resposta tão rápida

    ResponderExcluir
  27. Marcela B. Azevedo Constâncio8 de abril de 2014 16:18

    Dr. será que poderia fazer uma palestra qui em São Carlos-SP? A cidade é relativamente grande, tem muitas industrias. Adoraria ir em uma palestra sua!

    ResponderExcluir
  28. Organiza (tudo, logística, despesas, passagens) que eu vou :-)

    2014-04-08 16:18 GMT-03:00, Disqus :

    ResponderExcluir
  29. Marcela B. Azevedo Constâncio8 de abril de 2014 16:50

    Obrigada!

    ResponderExcluir