quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Evolução e seleção natural - implicações dietéticas

Como indicado no post anterior, os animais (e por extensão as pessoas) estão adaptadas àquela dieta com a qual evoluíram. Para a maioria de nós, o tempo requerido para que mudanças evolutivas ocorram em uma espécie é inimaginável. Assim, é útil fazer algumas comparações. O Brasil foi descoberto a pouco mais de 500 anos. Há 1000 anos estávamos em plena Idade Média. Há 2000 anos, no meio do Império Romano. Muito tempo? Você acha que os romanos eram geneticamente diferentes do homem moderno? É claro que não. Um romano andando hoje em dia na Itália seria mais um italiano. 6000 mil anos, então, é muito tempo? Os sumérios estavam criando a escrita, as primeiras cidades surgiam, e as pessoas já ficavam bêbadas com cerveja. Os documentos gravados em pedra por estas civilizações relatam coisas como impostos, e punições cruéis por adultério. Ou seja, pessoas como as de hoje. 10 mil anos? Vinte vezes mais do que a descoberta do Brasil! Isso sim, é muito tempo. Será? As primeiras populações estavam abandonando o estilo de vida nômade, dando-se conta de que podiam guardar parte das sementes das plantas que consumiam para replantá-las, produzindo assim a maior de todas a revoluções, a invenção da agricultura. Espertas, essas pessoas. Você acha que o seu DNA é muito diferente do delas? Nossos genes diferem 1,6% de os de um Chimpanzé. Quantos % você acha que somos diferentes daqueles homens e mulheres de 10 mil anos atrás?
Nossa espécie é denominada Homo sapiens. Os fósseis mais antigos de Homo sapiens datam de 195 mil anos. 195.000. Cento e noventa e cinco mil anos! E eles já eram anatomicamente idênticos a nós. Todos os 10 mil anos de agricultura e civilização correspondem a não mais do que 20% deste período. Por 80%, ou 190.000 anos, nossa espécie de homens modernos subsistiu como caçadores e coletores. Mas a evolução de nossa espécie não tem apenas 200.000 anos. Começamos a divergir dos demais primatas há cerca de 4 a 8 milhões de anos. Mas este ancestral, se visto hoje, seria identificado como um símio, não como uma pessoa. Os primeiros hominídeos datam de cerca de 2,5 milhões de anos.
Toda a história da civilização, todas as guerras, todas as culturas, pirâmides, conquistas, enfim, toda a história humana de que temos registro corresponde a menos de 0,5% da evolução do gênero Homo. Isto significa que nossos 10 mil anos de agricultura são um fenômeno extremamente recente do ponto de vista evolutivo. E agora, 10 mil anos ainda lhe parece muito tempo?
Se condensássemos todos os 2.500.000 anos da evolução humana em 1 ano, teríamos o seguinte calendário:
Dia 1o de janeiro: Início da evolução dos hominídeos, há 2,5 milhões de anos
Dia 31 de dezembro, 23:59:59.9 segundos - data presente
Neste calendário imaginário, a agricultura surgiu apenas às 13h do dia 30/12
As primeiras cidades e a escrita, na madrugada do dia 31 de dezembro, às 3h
As civiilzações clássicas às 15 horas do último dia do ano
O açúcar só foi introduzido na europa (pelos Cruzados)  às 21 horas do dia 31, 3 HORAS antes da meia-noite
Os moinhos modernos, que, com a revolução industrial, baratearam a farinha branca refinada, aumentando sobremaneira o consumo de trigo, são extremamente recentes, 18 segundos antes da meia-noite.
A introdução do xarope de milho de alta frutose, com o qual se adoçam refrigerentes, biscoitos, sorvetes e outras guloseimas, surgiu apenas 7 segundos antes da meia-noite do ano evolutivo.
Se a evolução da espécie tivesse ocorrido em 1 ano, teríamos tido uma dieta por 363 dias e meio, e uma mudança radical nas 36 horas finais (e uma mudança mais radical ainda nos últimos segundos).
Em um calendário como este, a evolução e a adaptação da espécie não ocorrem de um dia para o outro, mas no decorrer de semanas e meses. O período anterior à agricultura é denominado período paleolítico, apenas 2 dias atrás. Nossos genes, obviamente, ainda são os mesmos do paleolítico. É evidente que estamos geneticamente adaptados à dieta paleolítica. Mas, e o que comíamos até anteontem?

27 comentários:

  1. Um dos melhores posts sobre o assunto to date!
    Estou lendo todos, assim salvo pra recomendar para as pessoas do Brasil que sempre me perguntam sobre o que eu como e eu nunca tenho links em portugues pra passar!:)

    ResponderExcluir
  2. A sintese feita por José Carlos B. Peixoto ( colega da classe médica )também concorda com a teoria de baixo carboidrato e alto consumo de aminoácidos em forma de carne animal. Segue seu artigo:

    A DIETA DOS GORILAS, E DAÍ?

    Como poderia a alimentação dos gorilas informar algo
    a respeito de uma dieta saudável para os humanos?

    http://www.umaoutravisao.com.br/artigos/Alimentacao/a_dieta_dos_gorilas.html

    ResponderExcluir
  3. Caro José Carlos, o estado da arte da biologia evolutiva indica que essas questões são mais complicadas do que parecem. Sugiro a leitura do texto no link abaixo que trata de várias concepções equivocadas sobre evolução que embasam a dieta paleolítica. Ainda que não seja suficiente para mudar suas ideias sobre o assunto, espero que pelo menos adicione um grão de incerteza na sua defesa da dieta paleo. Espero que aproveite a leitura!

    http://chronicle.com/article/Misguided-Nostalgia-for-Our/137285/

    ResponderExcluir
  4. Raphael Cunha, não lí o artigo, mas deixo uma questão para você fazer uma reflexão. Eu mesmo não acredito muito nesta história toda de evolução e tals, sou cristão, mas vejo que se uma dieta diante de diversas pesquisas científicas é considerada a melhor, é esta dieta que vou querer seguir. abs ;)

    ResponderExcluir
  5. Prezado Raphael: muito obrigado pelo artigo. Vou ler com toda a atenção. O que ME MOVE é a dúvida. Não tenho nenhum receio de ter alguma convicção desafiada, pelo contrário, GOSTO disso. Tanto é verdade, que abandonei vários paradigmas fortes na medicina pois as evidências científicas lhes eram contrárias. Pode ser que demore uns dias, mas vou lhe dar um retorno e minha opinião.


    Em 27 de fevereiro de 2013 14:07, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  6. Segue uma resposta à altura de seu questionamento: http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2013/03/prezado-dr-souto-paelofantasia.html


    Abraço,


    Souto

    ResponderExcluir
  7. Uma pequena contribuição: Vigilant et al., 1991; Wilson & Cann, 1992, segundo seus estudos em fósseis, a parte de nosso DNA associada ao metabolismo praticamente não mudou nos últimos 50.000 anos.
    Vigilant L et al. (1991) African populations and the evolution of human mitochondrial DNA. Science 253: 1503-1507. Wilson AC, Cann RL (1992) The recent African genesis of humans. Sci Am 266: 68-73.

    ResponderExcluir
  8. Eu sinceramente não acredito em partes na evolução, porém, nossos ancestrais mais ''modernos'', aqueles africanos, indigenas ou esquimos, fazem o uso dessa dieta e são saudaveis e o melhor, com comprovação cientifica, com estudos em homens vivos e não em ossadas, abraços!

    ResponderExcluir
  9. fazem não, FAZIAM! *

    ResponderExcluir
  10. Dr. Souto. Eu conheci esse estilo de vida há uma semana atrás quando comprei o livro do emagrecer de vez. Primeiramente fiquei mt assustada, depois ao conhecer o seu blog tenho entendido melhor todo esse processo. Estou há uma semana nessa alimentação e me sinto muito melhor. Estava viciada em termogênico e me livrei deles. sinto-me com bastante energia. A minha busca é achar a cura p os ataques de compulsão alimentar que sempre me fizeram engordar após ter emagrecido. E por incrível que pareça eu tenho me sentido menos dependente da comida. Realmente é mt difícil vc tirar esses alimentos a primeira vista, mas depois de coisas maravilhosas que tenho lido e o resultado que venho sentindo estou cada minuto mais convencida de que é por esse caminho que devo seguir. é conveniente tirar um dia da semana para ingerirmos qualquer tipo de alimento? como entra a bebida alcóolica nesse processo? tenhos muitas dúvidas e na minha região não achei ainda um professional que segue esse estilo de vida. Mas espero achar em breve pois tenho me tornado cada vez mais interessada no assunto e fico me perguntando porque essas informações são totalmente escondidas de nós. O arroz integral e o a batata doce podem ser ingeridas de vez em quando ou é melhor evitar? O que acontece no nosso corpo e quais os resultados quando passamos um ou dois dias comendo o que comíamos antes? Obrigada e parabéns pelo excelente trabalho.

    ResponderExcluir
  11. Francisco Ary Martins20 de julho de 2013 05:29

    Dr, J.C. há cum tempo li o artigo
    http://resistir.info/energia/manning_p.htm que conecta a agricultura com o petróleo. Relendo o artigo depois de ler o seu blog e após começar a ler o livro Barriga de Trigo (que comprei por sua indicação) comecei a fazer novas conexões. Fiquei com a impressão de que o trigo, por nós usado, na verdade deve nos estar colonizando e fazendo trabalhar para a sua proliferação. Nos parasitando e dominando nossas mentes antes mesmo que corpo. Fiquei curioso também sobre a dieta dos bascos que, segundo o artigo, descendem dos Cro-magnons (dizimados pelos agricultores parece).

    ResponderExcluir
  12. Se vc gosta desse assunto, compre este livro: http://www.amazon.com.br/gp/aw/d/B003PJ7JXY/ref=mp_s_a_1_1?qid=1374309872&sr=1-1&pi=SL75 Em 20/07/2013 05:29, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  13. Minha irmã tem esclerose múltipla
    e não anda. Descobri que também tenho. Dizem que não é uma doença hereditária e
    sim genética com fatores ambientais. O que temos além da genética em comum?
    Moramos alguns metros de uma superpadaria com uma alimentação repleta de carboidrato
    a vida toda. Comecei a refletir sobre a dieta do paleolítico depois de assistir
    um vídeo da Drª Terry Wahls onde ela cosegue se curar em poucos meses apenas
    com a alimentação correta. Vamos ver se
    conseguimos seguir essa dieta. Obrigada

    ResponderExcluir
  14. É exatamente o que eu faria!

    2013/9/5, Disqus :

    ResponderExcluir
  15. Dr. Souto, alguns pontos não ficaram muito claros para mim. Sendo as frutas talvez a maior fonte de carboidratos, inclusive algumas de altíssimo índice glicêmico, me parece que a teoria acima se perde um pouco... afinal de contas, elas sempre foram consumidas pelo homem, desde "10 de janeiro". Não devemos avaliar os carboidratos como um todo, e não somente os carboidratos "ruins"?

    ResponderExcluir
  16. Não existia nenhuma fruta de alto índice glicêmico durante a evolução da espécie. O que existe hoje são frutas cultivadas, criadas por nós.

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 17/03/2014 12:20, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  17. Douglas Teócrito de Aquino15 de abril de 2014 13:30

    Concordo com a resposta do Dr. Souto. Sou engenheiro agrônomo e na pouca experiência que tenho em campo, na área de fruticultura, é de que praticamente todas as frutas vendidas hoje nos mercados tiveram um processo de seleção e "melhoramento" praticado pelo homem, quando este deixou de ser nômade e coletor. As frutas silvestres não possuíam a quantidade de carboidratos (açúcares como a frutose) como as frutos de hoje.

    ResponderExcluir
  18. Luciana Santos Silva7 de maio de 2014 16:29

    Ola Doutor, primeiramente quero parabeniza-lo pela boa vontade em responder a tantos questionamentos. Muito útil este site ja que hoje o que se prega é totalmente diferente e notamos que realmente não faz sentido. Mas são tantas as duvidas... porém minha pergunta é simples e talvez ate já foi esclarecida antes.... li sobre os picos de insulina e fiquei na duvida... o ideal seria comer de 3 em 3 horas, apenas quando sentir fome ou fazer 3 refeições diárias? Aguardo informações e ja agradeço...Luciana

    ResponderExcluir
  19. Apenas quando sentir fome

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 07/05/2014 16:29, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  20. Olá Luciana,


    coma quando tiver fome e até ficar saciada. Se tiver uma janela de alimentação de 8h, melhor ainda!

    ResponderExcluir
  21. Olá Luciana. Por que é desejável uma janela de 8h? Vale sugerir leituras. Obrigado.

    ResponderExcluir
  22. Luciana Santos Silva8 de maio de 2014 18:25

    Obrigada, acabei lendo outros posts daqui que explicavam o assunto... vou mudar este habito e verificar oque acontece.... depois volto para contar.... obrigada Doutor

    ResponderExcluir
  23. Luciana Santos Silva8 de maio de 2014 18:26

    Obrigada Patricia... eu sempre comia de 3 em 3 e parece q da mais vontade de comer ainda... vou tentar mudar isso ja q no cafe da manha acabava comendo sem estar com fome e depois volto para contar como me sinto... :-)

    ResponderExcluir
  24. Turi,meu caso é o mesmo seu,eu sei que espécies evoluem dentro da sua própria espécie,mas não há uma prova científica de que uma espécie tenha evoluído para outra espécie,todas as provas que Darwin e os cientistas dão são exemplos dentro da própria espécie,por isso se chama TEORIA,não é certeza.Por outro lado creio que a interpretação de muitas coisas na bíblia ,principalmente quanto a tempo e anos não é literal.
    Quando a dieta dos nossos antepassados,creio que está super correto o raciocínio.
    Faço a paleo e estou muito bem.
    Lembra da história daquele cego que Jesus curou o que ele respondeu aos fariseus doutores da lei que o interrogavam a respeito de Jesus....
    _ Não sei de nada,só sei que era cego e agora vejo.
    A mesma coisa eu respondo as pessoas que criticam a paleo,não sei de nada só sei que estou emagrecendo,minha TPM sumiu,meu humor melhorou muito,não passo fome como nas dieta de antes,estou muito feliz,e é só o começo.............Abraço querido!

    ResponderExcluir
  25. Isso ai Janaina, e além disso ainda temos a ciência comprovando que a dieta Low Carb é superior as outras. ;) abs

    ResponderExcluir
  26. In order to cope in the fast-paced market, new applications are
    essential. The simple truth is, people join MLM opportunities as a
    consequence of who introduced them. ll have the practical guidance you will need
    on how to take up a concierge business''.

    Feel free to visit my web-site: http://vimeo.com/

    ResponderExcluir